Uma família sadia

“Ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição.” (Malaquias 4:6)

A família sempre esteve no coração de Deus, foi algo que Ele desejava e por isso criou Adão e Eva e seus descendentes. Creio que Deus idealizou uma família feliz, abençoada e que reconheceria o amor Dele em todas as coisas.

Infelizmente temos visto muitas famílias se desintegrando porque não temem a Deus e não buscam ajuda em Deus. Quando casamos e constituímos família, devemos deixar Jesus direcionar o nosso casamento, porque diferenças existem, mas com o Senhor, sobrevivemos a todas elas.

Deus não queria que as pessoas se destruíssem como vemos hoje em tantos lares. E uma das principais causas é a intolerância e a falta de humildade em reconhecer os nossos próprios erros e apenas apontar as falhas do outro. Temos que viver bem em família e dentro do padrão que Ele nos ensinou. Com paciência, renúncia e amor. Relacionamentos existem para serem felizes e bons. Não para discórdia e desunião. Mas sem Jesus Cristo é praticamente impossível viver bem.

Uma das coisas que tenho aprendido com a vida cristã é que podemos ter comunhão mesmo com as diferenças, porque foi Deus quem nos fez e criou. De nada adianta você questionar e brigar com um irmão dentro da sua casa porque ele não é cristão e depois ir culto orar com o coração ressentido. Lembre-se que Jesus não faria isto! Apenas ore e interceda para que um dia a graça de Deus alcance a vida desse irmão. Não permita que o seu coração inflame e tenha raiva ou impaciência. Você faz parte de uma família que Deus constituiu! E busque a boa convivência, não discuta, respeite o ponto de vista alheio. E continue a orar, apenas isso. E se um familiar não cristão pedir um consolo, uma ajuda, abrace a causa, dê o ombro e fale do amor de Deus que é incondicional.

Não há problema algum na diferença; o problema existe é na divisão! Não desperdice tempo brigando. Mudanças acontecem a partir de você.  Seja participativa, pacificadora, acolhedora, intercessora daqueles irmãos, pais e familiares que não conhecem o Evangelho.  Aprenda a conduzir uma conversa sem gritos, decida perdoar mesmo que o outro esteja errado, seja positiva e nunca negativa, beije seus pais, abrace seus irmãos. Priorize por uma família sadia! E tenha paciência porque Deus não despede seus filhos de mãos vazias. 

Concluo com um breve testemunho para vocês permanecerem na fé. O meu pai se converteu a Jesus apenas observando o meu testemunho. Não precisei gritar, nem forçar, nem impor, absolutamente nada. Um dia ele pensou: “Quero conhecer esse Jesus que a Roberta tanto fala com tanto amor”. Simples assim. E o Espírito Santo completou a obra! Por isso, vale a pena continuar orando.

Uma semana tranquila no amor de Cristo

Roberta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *