Perdão não é tolerância

 

Eu acho essa passagem de Jesus, nas Escrituras Sagradas, simplesmente linda, quando imagino Jesus, com a cabeça baixa, tranquilo, escrevendo na areia, e dizendo o versículo acima. Na realidade, as pessoas chegaram até Ele e disseram: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em ato de adultério. Na Lei, Moisés nos ordena apedrejar tais mulheres. E o Senhor, que diz? ”. Bem, eles estavam usando essa pergunta como armadilha, a fim de terem uma base para acusá-lo. Mas Jesus inclinou-se e começou a escrever no chão com o dedo, numa calmaria, num ato pacificador, seguro do que falava com tanto amor e perdão.

E nós, será que em momentos de ira, raiva, mágoa, teríamos um breve momento de calmaria, paz e aconselhamento? Creio que nem sempre…ou nunca. Mas eu quero falar sobre perdão e tolerância. Jesus ama o pecador, mas odeia o pecado. Ele não aceita que continuemos a pecar, sabendo que aquilo ira magoá-lo e dar uma enorme brecha para o inimigo agir em nossa vida.

Nós temos que saber distinguir o perdão da tolerância com o pecado. Não podemos ser moralistas hipócritas se pregamos algo e fazemos outra coisa. Quando Jesus diz que aquele que não tem pecado deveria atirar a primeira pedra, Ele salienta o fato de que todos aqueles julgadores tinham pecado. Tratava-se de fariseus hipócritas, como se eles fossem “santos”, puros e livres de todos os erros.

Nós, cristãs, devemos levar a sério o pecado, denunciá-lo e anunciar o perdão. O mesmo Jesus que alertou que aquele que não tinha pecado, que atirasse a primeira pedra, também, disse para a mulher, para ela ir e não pecar mais. Eu acho incrível esse texto, porque o Senhor fez duas coisas muito importantes: Censurou os homens que estavam prontos para apedrejar a mulher adultera, e não deixou de mostrar a todos a necessidade do arrependimento, além de pedir a ela uma mudança radical de vida. Jesus não aceita o preconceito e a distinção de pessoas, por incrível que isso possa parecer, Ele ama a todos, sem qualquer acepção. Mas não convive com o pecado e disciplina todo aquele que insiste em permanecer nele.

Quando pecamos e pedimos perdão, muitas vezes achamos que o problema está resolvido. Como se Jesus Cristo tivesse a obrigação de aceitar nossas desculpas porque Ele é bom e misericordioso. Mas não é bem assim, amada. O perdão do nosso Pai absolve os pecados. E absolve aquele que não merece receber nada: nós. É a mesma coisa quando um réu vai a julgamento e depois de muitas horas, chega o momento da sentença e o acusado está livre! Mas se ele cometer qualquer transgressão, será preso novamente. Então, o correto é o acusado caminhar corretamente pelo resto da vida dele.
Amada, absolvição dos pecados é algo sério. Mas não brinque com Deus. A tolerância Dele também pode acabar e você colher frutos estragados de uma colheita ruim. Quando Jesus anuncia o perdão e a misericórdia, Ele não está sendo tolerante com o pecado e muito menos passando a mão na sua cabeça. Ao contrário, Ele está te disciplinando e dando uma nova chance para uma vida plena e abundante com todas as bênçãos que Deus tem para você. Lembre-se que o perdão dá um tapa na cara de Satanás e você está livre para um recomeço nos caminhos do Senhor. Onde encontramos esperança, amor, recompensa, colheita, herança e vida eterna.

A paz,

Roberta

Salvar

Salvar