Vivendo em unidade

Vivendo em unidade

“Esforçando-vos diligentemente por perseverar a unidade do Espírito no vínculo da paz”. Ef. 4.3

 

Hoje quero escrever sobre a importância da família. Da minha, da sua, da família que Deus nos deu. Hoje você faz parte de uma geração, de uma herança que o Senhor preparou. Você não está aqui por acaso, você nasceu porque Deus permitiu. E nasceu do ventre da sua mãe, porque assim o Senhor quis.

 

Tenho observado que está se tornando cada vez mais raro encontrar famílias reunidas e unidas. Conheço pessoas que estão cada vez mais se distanciando dos pais, dos filhos, dos netos. Filhos não falam com os pais, vivem na internet, pais passam muito tempo longe dos filhos porque precisam ganhar dinheiro, mães e pais são deixados em casas de repouso porque os filhos não têm paciência com eles. Tenho visto reclamações e injustiças diárias com os familiares. Abismos criados nos lares por causa de mal-entendidos, brigas, gritos e dores. Onde está a unidade do Espirito e o vínculo da paz?

 

Amada, Jesus Cristo sempre pregou a necessidade da unidade. Seus discípulos sabiam disso e aqueles que os observavam caminhando com o Senhor, comentavam de como eles eram unidos e sempre falando a mesma língua, o mesmo ensinamento do Messias. Viver em unidade requer determinação, renúncia, amor, perdão, paciência. Somos pessoas diferentes, com personalidades distintas e vidas diferentes, mas isso não nos torna inimigos. Por isso, a marca do Espirito Santo em nossa vida é necessária.

 

O lar é a base de tudo. Um lar com Jesus e com os princípios cristãos tem uma coluna forte. A mãe, normalmente é essa coluna, não por ser melhor, mas porque Deus a fez assim, mas emocional, mais amorosa, mais próxima dos filhos, e por alguma razão é assim. Na falta dela, creio que o pai. E ambos são importantes na criação dos filhos, mostrando que estarão lá, com um objetivo, atendendo as necessidades físicas e espirituais de todos eles. 

 

Meus pais são divorciados, mas continuam amigos pela felicidade dos filhos. E foi uma escolha assertiva, o casamento não deu certo, mas os filhos são frutos e as mágoas foram enterradas. O convívio saudável colabora na trajetória de vida dos que são próximos. O lar é um campo de treinamento para a história de vida. Dentro dele aprendemos as coisas boas e muitas vezes ruins. Mas se há princípios cristãos definidos e seguidos, certamente eles irão refletir lá fora. Jesus sempre quis que seus discípulos fossem apenas “um”. Em amor, em gratidão, em perdão. Para que o mundo cresse que Deus O enviara. A mensagem do evangelho é clara, o Senhor sempre pregou a paz.

 

Vamos viver em unidade, começando pelos nossos lares. Diferenças precisam ser respeitadas e vencidas. O evangelho de Jesus é tão bonito, é tão consistente, que vale a pena segui-lo. Continuemos nossa caminhada cristã, vivendo em unidade, sem discórdia. É isso que faz a vida valer a pena. E para terminar, ainda hoje, leia Romanos 14:19. Edifique o seu irmão. Não humilhe ou entristeça. Apenas edifique. Uma palavra boa, de amor e esperança, talvez seja tudo o que o seu pai precisa neste momento da vida. Ou a sua irmã, que acabou de se divorciar. Ou a sua mãe, que está fatigada. Ou o seu irmão que perdeu o emprego. Ou até o vizinho que não conhece a Cristo. Dê exemplo, coloque em prática.

 

A paz,

 

Roberta